Unidade de Saúde da Família foto

10_2

Apresentação

O compromisso de oferecer a São Pedro da Aldeia uma saúde digna foi assumido pela atual administração em 2012, ainda no período eleitoral. Para cumprir o acordo, já na primeira quinzena de mandato, a Prefeitura reabriu o Pronto-Socorro Municipal e, durante o governo, promoveu diversos investimentos em profissionais, processos, obras e equipamentos.

Parte dos recursos obtidos para investir na saúde da cidade foi recuperada de contratos paralisados na gestão anterior. Com o apoio da Secretaria de Projetos, o município regularizou sua situação perante o Governo Federal e resgatou mais de R$ 700 mil que estavam indisponíveis desde 2011. Dessa forma, a Secretaria de Saúde restabeleceu a rotina de investimentos e, ainda em 2013, recebeu mais R$ 6,4 milhões em novos convênios firmados.

Com recursos em caixa, iniciou-se uma série de obras visando à melhoria na infraestrutura de saúde. Ao todo, 17 intervenções foram realizadas entre reformas, construções e abertura de novas unidades de saúde em toda a cidade, e houve também verbas destinadas para a aquisição de equipamentos e materiais. Ainda em 2013, a Prefeitura investiu na contratação de servidores para atender a demanda da população. No total, foram 51 novos profissionais, sendo 23 médicos, 7 enfermeiros e 21 técnicos de enfermagem.

Hoje a saúde municipal conta com 430 profissionais atendendo em 25 especialidades diferentes. Um avanço importante na qualidade que proporcionou um significativo aumento no número de serviços disponíveis e no número de atendimentos realizados.

Todos esses investimentos trouxeram resultados importantes, como a redução em mais de 50% do número de mortes no Pronto-Socorro Municipal e a redução no número de transferências de pacientes cirúrgicos para tratamento em outros municípios, o que revela o aumento da resolutividade de casos atendidos na própria cidade.

Mas, apesar do trabalho já realizado, a Secretaria de Saúde entende que ainda há muito o que ser feito e continua se dedicando na melhoria das condições do atendimento à população.

Principais destaques e problemas

» Contratação de mais profissionais para o Pronto-Socorro: situação precária no atendimento foi resolvida em menos de quinze dias de governo.

» Contratação de médicos especialistas: São Pedro da Aldeia se tornou modelo no que se refere à quantidade de especialidades médicas oferecidas.

» Atendimento odontológico acessível e gratuito: cuidado com os dentes está presente em toda a rede de saúde e no, Pronto-Socorro o atendimento é 24h.

» Centro de atenção à saúde da mulher em pleno funcionamento: atualmente são cerca de 300 atendimentos por mês no PAISMCA para mulheres de todas as idades.

» Reforço no combate a dengue com o Ultra Baixo Volume: parceria com o Governo do Estado para controlar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti.

» Reforma geral e ampliação do Pronto Socorro-Municipal: mais qualidade no atendimento e melhor conforto para usuários e servidores.

» Nova oferta de endoscopia e eletroencefalograma na Policlínica: pacientes não precisam mais se deslocar até Maricá para fazer os exames.

» Redução em mais de 50% do número de mortes no Pronto-Socorro: município tem hoje os melhores indicadores da Região do Lagos.

» Recuperação de quase R$ 1 milhão em convênios para a Saúde: contratos parados desde 2011 voltam a ser executados na atual administração.

» Quase R$ 10 milhões em novos convênios para saúde: regularização perante o Governo Federal permite município celebrar novos contratos.

» Nova ambulância para São Pedro da Aldeia: veículo fica à disposição do Pronto-Socorro para agilizar o transporte de pacientes.

» Implementação do Projeto Escola de Postura: prevenção e tratamento para problemas relacionados à coluna.

» Reforma da Unidade de Saúde da Família do bairro Vinhateiro: parceria com o Ministério da Saúde proporciona melhores condições para o atendimento dos pacientes.

» Mais de 5 mil crianças em cada campanha de multivacinação infantil: Secretaria de Saúde supriu 100% da demanda para todas as vacinas do calendário básico infantil.

» Inauguração do primeiro núcleo de atendimento à violência intrafamiliar da Região dos Lagos: atendimento psicológico gratuito para as vítimas e para os autores de violência.

» Reforma integral do Posto de Saúde do bairro São João: unidade de saúde passou por intervenções que melhoraram a estrutura e as condições de atendimento.

» Vacinação para cerca de 14 mil cães e gatos em 2013 e para mais de 15 mil em 2014: cuidado especial também com os animais da cidade e por consequência com a população.

» Abertura de Unidade Intermediária (UI) no Pronto-Socorro Municipal: construída com recursos próprios, a UI foi um investimento de alto custo para a Prefeitura.

» Coleta para exames de rotina nas Unidades de Saúde por meio do sistema Rota: logística descentralizada diminui tempo para entrega dos resultados dos exames e evita o deslocamento de pacientes.

» Aquisição de dez novos aparelhos de eletrocardiograma: mais agilidade no processo de diagnóstico e no início do tratamento.

» Aquisição de UTI móvel para transporte de pacientes graves: mais segurança para a saúde de pacientes em estado de urgência e emergência.

» Reforma da Unidade de Saúde da Praia Linda: obra de destaque na cidade melhorou a vida de quem precisa de atendimento médico.

» Mais duas vans para o transporte de pacientes: conforto e economia para quem precisa de atendimento, mas não está em estado de urgência ou emergência.

» Tratamento e medicação gratuitos contra o fumo: parceria com o Governo Estadual ajuda o aldeense e ficar livre do cigarro.

» Projeto Saúde do Pescador no bairro Ponta do Ambrósio: cuidado especial nas áreas de dermatologia, oftalmologia e oncologia.

» Início de atendimento na Unidade Móvel do Hospital Oftalmológico Sta. Beatriz de Niterói: atendimento custeado pela Prefeitura evita o deslocamento dos pacientes de São Pedro da Aldeia.

» Mais de R$ 300 mil em equipamentos instalados no Pronto-Socorro: melhor infraestrutura para o atendimento dos pacientes de São Pedro da Aldeia.

» Meta de vacinação contra a poliomielite é ultrapassada em crianças menores de um ano: atenção especial com a saúde evita a proliferação de doenças.

» Inauguração da Unidade de Saúde do bairro Flexeira: investimento de R$ 367 mil aplicado por meio de parceria entre Prefeitura e Governo Federal.

» Construção da Unidade de Saúde do Porto do Carro: obra foi iniciada, mas atualmente está parada por falta de repasse de verbas (informação de 07/2016).

» Construção da Unidade de Saúde do Parque Arruda: obra está paralisa por problemas com a construtora contratada, nova licitação será realizada (informação de 07/2016).

» Mais de 50 mil pessoas imunizadas contra a gripe: vacinação realizada em todos os quatro anos do atual governo leva mais saúde à população aldeense.

» Construção da Unidade Básica de Saúde (UBS) do Porto da Aldeia: obra já está quase
concluída e tem previsão de inauguração para agosto de 2016.

» Reforma da Residência Terapêutica: melhores condições para atendimento de pacientes e maior capacidade administrativa da instituição.

» Construção da Unidade de Saúde do bairro Baleia: obra interrompida em função da troca de empreiteiras e sem data para inauguração (informação de 07/2016).

» Reforma e ampliação do Pronto-Socorro Municipal: investimento em infraestrutura para melhorar o atendimento aos pacientes.

» Campanha #zikazero atinge 100% de aproveitamento: Prefeitura trabalha no combate ao Aedes Aegypti, 16 bairros foram beneficiados.

» Inauguração da nova Unidade de Saúde do Campo Redondo: R$ 562 mil investidos em um novo espaço destinado à promoção e atendimentos em saúde.

» Reforma da Unidade de Saúde do bairro Baixo Grande: contrato com o Governo Federal, paralisado durante a gestão 2009 – 2012, foi recuperado pela atual administração da Prefeitura.

» Construção da Unidade de Saúde do bairro Centro: contrato com o Governo Federal, paralisado durante a gestão 2009 – 2012, foi recuperado pela atual administração da Prefeitura.

» Construção da Unidade de Saúde do bairro Rua do Fogo: a empreiteira responsável abandonou a obra, o empreendimento está parado (informação de 07/2016).

» Problemas de infraestrutura em unidades de saúde: postos de saúde instalados em dois bairros precisam de melhor estrutura.

» Resistência por parte da população com relação ao primeiro atendimento médico preventivo: pacientes querem ser atendidos diretamente por um especialista.

» CAPS 1 – Centro de Atenção Psicossocial está sendo requalificado para se tornar CAPS 2: maior capacidade para atendimento a pacientes com problemas mentais.

» Prefeitura vai inaugurar o primeiro Centro de Atenção Psicossocial Infantil (CAPSI): será a primeira instalada na Baixada Litorânea, única região do estado que ainda não possui a unidade.

» Ambulatório Ampliado de Saúde Mental realiza cerca de 3 mil atendimentos ao mês: unidade recebe tanto os pacientes com transtornos comuns quanto os mais graves.

Principais ações e problemas em detalhes

» Contratação de mais profissionais para o Pronto-Socorro: situação precária no atendimento foi resolvida em menos de quinze dias de governo.

A Prefeitura contratou mais profissionais para o Pronto-Socorro Municipal devido ao aumento da demanda provocado pela crise da saúde pública, não só em São Pedro da Aldeia, mas em todos os municípios da Região dos Lagos e em boa parte do Rio de Janeiro. Foram mais sete médicos, sete enfermeiros e 21 técnicos de enfermagem.

Dessa forma, a atual administração, que acabara de assumir a Prefeitura, conseguiu reverter a situação precária na qual o Pronto-Socorro se encontrava e o hospital voltou a oferecer atendimento completo, da pediatria ao trauma.

» Contratação de médicos especialistas: São Pedro da Aldeia se tornou modelo no que se refere à quantidade de especialidades médicas oferecidas.

A Prefeitura contratou, em regime temporário, médicos especialistas em diversas áreas para suprir as necessidades de atendimento à população. Foram contratados médicos especialistas em anestesiologia, cirurgia geral, cirurgia pediátrica, ginecologia, neurocirurgia, oftalmologia e ortopedia, que dão suporte ao atendimento no Pronto-Socorro Municipal. Ao todo, foram 16 médicos especialistas, em carga horária de 24h semanais.

Hoje São Pedro da Aldeia é uma cidade modelo no que se refere à quantidade de especialidades médicas oferecidas para a sua população. A atual administração percebeu que é mais caro transportar os pacientes do que ter o especialista na cidade.

São Pedro da Aldeia possui ainda um Centro de Especialidades (Policlínica) diferenciado, tanto que a população dos outros oito municípios que compõe a região busca atendimento na cidade. A Policlínica oferece médicos ortopedistas, neurologistas, cirurgião de cabeça e pescoço, entre outros. As ultrassonografias são feitas em aparelhos de primeira linha, o setor de oftalmologia é completo e em breve deve disponibilizar a cirurgia de catarata.

A atual gestão custeia os especialistas com recursos próprios, e não através de repasses do SUS. Fazer com que a população tenha acesso às diversas especialidades é dever do estado, não do município. No entanto, em função das dificuldades de transporte, permanência de algumas doenças na cidade e outras dificuldades, a Prefeitura tomou para si a responsabilidade e montou um o Centro de Especialidades.

» Atendimento odontológico acessível e gratuito: cuidado com os dentes está presente em
toda a rede de saúde e, no Pronto-Socorro, o atendimento é 24h.

Em cidades brasileiras com aproximadamente 100 mil habitantes, apenas uma unidade de saúde costuma oferecer tratamento dentário. Mas em São Pedro da Aldeia, a especialidade está presente em toda a rede municipal de saúde: Atenção Básica, Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) e Pronto-Socorro com atendimento 24 horas. Outra vantagem é o fornecimento de aparelhos odontológicos gratuito para as crianças de até 12 anos de idade. Esse serviço faz com que São Pedro da Aldeia absorva inclusive parte da demanda da Região dos Lagos.

» Centro de atenção à saúde da mulher em pleno funcionamento: atualmente são cerca de 300 atendimentos por mês no PAISMCA para mulheres de todas as idades.

O Programa de Atenção Integral à Saúde da Mulher, Criança e Adolescente (PAISMCA) oferece tratamento ambulatorial de média complexidade por meio de encaminhamentos das unidades de saúde do município. Em 2014, foram realizados um total de 1.911 procedimentos entre julho e dezembro, em 2015 foram 3.192 durante o ano, e atualmente são 300 atendimentos por mês (informação de 07/2016).

A unidade funciona no centro da cidade, em uma casa alugada, que passou por obras de adaptação e ampliação do espaço. Hoje o PAIMSCA oferece mais qualidade no atendimento porque a atual gestão, além de reformar o espaço, aumentou o quadro médico e a oferta de exames. Fazem parte do quadro um ginecologista de referência, um cirurgião ginecológico, uma ginecologista exclusiva para a prevenção de câncer de colo de útero, três pediatras (dois foram contratados pela atual administração), dois obstetras de alto risco, duas enfermeiras e um técnico em enfermagem.

Atualmente a unidade de saúde consegue atender à demanda e o tempo de espera foi reduzido. Na gestão anterior o tempo de espera por uma consulta era de até quatro meses, hoje ninguém espera mais de um mês, um período considerado razoável para os padrões do país.

O PAIMSCA foi todo informatizado, ganhou um sistema de marcação de consultas online e o paciente agora recebe a confirmação com data e hora no próprio celular. Outra vantagem é a realização da colposcopia, exame do colo do útero que diagnostica o HPV. Com a chegada desse exame não é mais necessário o deslocamento das mulheres até Rio das Ostras.

O Programa de Atenção Integral à Saúde da Mulher, Criança e Adolescente recebe atenção especial da Secretaria de Saúde, mas ainda pode melhorar. A principal reclamação da população é a falta dos procedimentos de vasectomia e laqueadura de trompas. O PAIMSCA oferece a parte educativa do Planejamento Familiar, mas não as cirurgias. A maternidade não tem habilitação para realizar os procedimentos. O PAIMSCA disponibiliza anticoncepcionais e DIU, mas no momento estão sem médico para colocação do DIU.

A população muitas vezes não entende que o atendimento do PAIMSCA está voltado para as gestantes de alto risco. As gestantes de baixo risco querem ser atendidas na unidade, e o fato de serem orientadas a buscar atendimento na unidade básica mais perto de casa gera reclamações. O PAIMSCA não tem condições nem razão para assumir essas pacientes.

» Reforço no combate a dengue com o Ultra Baixo Volume: parceria com o Governo do Estado para controlar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti.

Os carros do Ultra Baixo Volume, também conhecidos por Fumacê, circulam pelo município de 5h30 às 7h30 da manhã, horário em que o mosquito está ativo. Um cronograma de bairros é seguido, e o serviço é feito mediante condições climáticas favoráveis, ou seja, não pode estar chovendo.

Os agentes de combate à dengue realizam também visitas domiciliares e fazem as notificações quando há suspeita de dengue, zika e chikungunya. No caso das gestantes que apresentam exantemas (manchas vermelhas no corpo), é realizado o Levantamento de Índice Rápido(LIRa).

De acordo com o LIRa, São Pedro da Aldeia está com 0,9% de índice de infestação predial. Portanto, segundo a Secretaria de Saúde do Estado, a classificação de risco é baixa.

As gestantes que realizam o pré-natal em São Pedro da Aldeia ganham repelentes adquiridos pela Prefeitura a pedido da Vigilância Ambiental. Elas também recebem um mosquiteiro disponibilizado pela Defesa Civil.

O Projeto Verão foi realizado por três meses, sempre aos finais de semana. Durante esse período, cerca de 17 mil imóveis que ficam fechados o ano todo puderam ser vistoriados e tratados.

» Reforma geral e ampliação do Pronto-Socorro Municipal: mais qualidade no atendimento e melhor conforto para usuários e servidores.

A Prefeitura está prestes a entregar a primeira fase das obras de reforma e ampliação do Pronto-Socorro Municipal (informação de 07/2016). Todas as intervenções realizadas no prédio seguiram as exigências sanitárias e a população vai poder contar com um atendimento

com instalações de primeira linha. O Pronto-Socorro vai priorizar o cuidado com pacientes, acompanhantes e profissionais da saúde.

Áreas reformadas:

  • Recepção, onde será feito o acolhimento e a classificação de risco
  • Consultórios
  • Ala Amarela, de recuperação
  • Ala vermelha, de urgência
  • Isolamento
  • Hipodermia – sala gesso, soro e medicação
  • Implantação da Unidade Intermediária(UI)

Em relação à segunda fase da reforma, o plano é fazer com que o Pronto-Socorro se transforme, gradativamente, em um hospital de pequeno porte. A proposta é disponibilizar 50 leitos, dos quais 30 serão clínicos e 20 obstétricos. A primeira fase da reforma já foi pensada para compor um hospital de pequeno porte.

Mais de R$ 3 milhões em investimentos foram programados para o Pronto-Socorro. No contrato de gestão, existe R$ 1,5 milhão para serem gastos nos quatro primeiros anos da atual administração, que assumiu a reforma basicamente com recursos próprios.

» Nova oferta de endoscopia e eletroencefalograma na Policlínica: pacientes não precisam mais se deslocar até Maricá para fazer os exames.

Mais dois serviços passaram a ser oferecidos na Policlínica do Centro: exame de endoscopia, indicado para diagnosticar e tratar das doenças do estômago e sistema digestivo, e o exame de eletroencefalograma, recomendado para pacientes com epilepsia, suspeita de alteração na atividade elétrica cerebral e com alteração de consciência.

Antes da atual administração assumir a Prefeitura, esses exames eram realizados apenas em Maricá. Com a oferta, o município vai diminuir muito o custo de deslocamento, que girava em torno de R$ 40, além do tempo longo de viagem, 3h ida e volta, evitando assim uma série de transtornos.

» Redução em mais de 50% do número de mortes no Pronto-Socorro: município tem hoje os melhores indicadores da Região do Lagos.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, em maio de 2013, o número de óbitos registrados era de 32, mas já em junho do mesmo ano, a unidade registrou 12 mortes. Essa redução de mais de 50% só foi possível após os investimentos, que garantiram uma série de intervenções, e a contratação de novos profissionais para atender a demanda de pacientes na unidade.

No Pronto-Socorro, a taxa de mortalidade é monitorada na Sala Vermelha, enquanto as transferências são monitoradas na Sala Amarela. A taxa de mortalidade é baixíssima e o índice de transferência é alto, isso significa que o mecanismo e a regulação das transferências são eficientes e que o paciente que precisa de atenção especializada tem a sua vaga garantida na rede. Outra vantagem é a agilidade no atendimento, o que evita demora e grandes filas, como acontece em hospitais de várias cidades brasileiras.

» Recuperação de quase R$ 1 milhão em convênios para a Saúde: contratos parados desde 2011 voltam a ser executados na atual administração.

A Prefeitura, por meio da Secretaria Especial de Projetos, recuperou quase R$ 1 milhão em convênios celebrados com o Governo Federal, em 2011, direcionados para a saúde. Os contratos estavam paralisados por falta de projetos e de continuidade na execução. Mas toda a situação foi regularizada e os convênios pendentes foram resgatados.

Os processos foram regularizados e refeitos. Atualmente as comissões da Prefeitura auditam todos os contratos, inclusive os que já estão em vigência. A reorganização dos processos continua em andamento.

» Quase R$ 10 milhões em novos convênios para saúde: regularização perante o Governo Federal permite município celebrar novos contratos.

Até 2013, o município estava impossibilitado de enviar propostas e de receber recursos do Ministério da Saúde para a execução de obras por conta de convênios celebrados anteriormente que não foram executados.

Com a regularização, São Pedro da Aldeia tornou-se apto a receber recursos federais para investimentos em obras no setor e habilitado a encaminhar novas propostas. Já em 2013, a atual gestão celebrou convênios que totalizaram R$ 9,9 milhões.

O processo de regularização ainda não terminou, mas o município tem aproveitado todos os convênios com o Ministério da Saúde. Os deputados da região se empenham em fazer emendas orçamentárias para São Pedro da Aldeia, o que deve muito à credibilidade que a atual administração adquiriu e à capacidade de articulação junto aos parlamentares.

» Nova ambulância para São Pedro da Aldeia: veículo fica à disposição do Pronto-Socorro para agilizar o transporte de pacientes.

O veículo foi adquirido com recursos do próprio município. É uma ambulância básica para atendimento de pacientes em quadro de baixa complexidade. A ambulância, que está todos os dias no Pronto-Socorro, é adaptável e pode ser transformada em unidade móvel de terapia intensiva (UTI). O veículo é equipado por um cilindro de oxigênio, maca, banco para enfermeiro e acompanhante, suporte de soro, armário de duas portas para guardar material e um ventilador.

» Implementação do Projeto Escola de Postura: prevenção e tratamento para problemas relacionados à coluna.

O projeto Escola de Postura foi desenvolvido pelo Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) em conjunto com os profissionais das equipes de Saúde da Família (ESF). O projeto é coordenado por dois fisioterapeutas do NASF e já foi implantado nas oito unidades básicas de saúde da família que fazem parte da área de abrangência do NASF: São João I e II, Porto do Carro, Baixo Grande, Vinhateiro, Ponta do Ambrósio, Alecrim, Arruda e Parque das Orquídeas.

O Escola de Postura tem contribuído significativamente para a qualidade de vida da população atendida, além de ter reduzido a fila de espera para atendimentos no Centro Municipal de Reabilitação Fisioterapêutica. Cada uma das unidades conta com uma turma de cerca de 20 alunos.

» Reforma da Unidade de Saúde da Família do bairro Vinhateiro: parceria com o Ministério da Saúde proporciona melhores condições para o atendimento dos pacientes.

A Prefeitura, em parceria com o Governo Federal, concluiu as obras de reforma geral da Unidade de Saúde da Família do bairro Vinhateiro. As intervenções contemplaram a pintura geral, interna e externa, reparos elétricos, portas, pisos e equipamentos. Houve, ainda troca de todas as luminárias e das peças de cerâmica da varanda, além dos azulejos das salas de vacina, curativos e odontologia. As intervenções, segundo informações enviadas em 04/2016 pela Secretaria Municipal de Saúde, tiveram um custo de R$ 37.6 mil, captado junto ao Fundo Nacional de Saúde.

» Mais de 5 mil crianças em cada campanha de multivacinação infantil: Secretaria de Saúde supriu 100% da demanda para todas as vacinas do calendário básico infantil.

A campanha é realizada em todos os 24 postos de saúde e na Policlínica do centro da cidade.

De acordo com o Setor de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde, em 2014, cerca de 1.780 crianças estavam com o cartão de vacinação em dia e não precisaram ser imunizadas e outras 3.511 foram vacinadas. Já em 2015, 5.375 crianças foram vacinadas, e neste ano (2016), a vacinação está prevista para o segundo semestre. A campanha, determinada pelo Ministério da Saúde, tem como objetivo atualizar a cobertura vacinal de crianças de zero a cinco anos incompletos.

Com as campanhas de 2014 e 2015, a Secretaria de Saúde supriu 100% da demanda para todas as vacinas do calendário básico infantil: BCG, hepatite B, penta, inativada poliomielite (VIP), oral poliomielite (VOP), rotavírus, pneumocócica valente, meningocócica C conjugada, febre amarela, tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba) e tríplice bacteriana (difteria, tétano e coqueluche).

» Inauguração do primeiro núcleo de atendimento à violência intrafamiliar da Região dos Lagos: atendimento psicológico gratuito para as vítimas e para os autores de violência.

O novo Núcleo de Atendimento à Violência Intrafamiliar (Navi) é a 4ª unidade no Estado do Rio de Janeiro e a 1ª em toda a Região dos Lagos a funcionar nesses moldes. O projeto teve início em 2007 e foi agora concluído e inaugurado pela atual gestão da Prefeitura.

O Navi está presente também em quatro postos de saúde, atuando de forma descentralizada no combate à violência e formando, assim, uma rede de proteção. O plano, a partir de 2016, é expandir o Núcleo e levar o serviço para mais Unidades Básicas de Saúde, pois o ideal é que os pontos de combate à violência estejam mais perto de onde ela acontece, ou seja, nos bairros.

Na unidade, são acolhidos homens, mulheres, idosos, crianças, adolescentes e pessoas portadoras de necessidades especiais que sofrem ou sofreram com situações de violência intrafamiliar, caracterizada pela agressão física, sexual e psicológica entre pessoas de um mesmo ambiente de convívio, seja social ou familiar, inclusive o agressor é atendido. Vale lembrar que a violência urbana e de trânsito não fazem parte da área de atendimento do Núcleo.

O trabalho é realizado em conjunto com o Pronto-Socorro, Unidade de Pronto-Atendimento, (UPA) e Atenção Básica. Quando o profissional de saúde das unidades detecta a suspeita de violência, ele faz uma notificação para a Vigilância em Saúde, que aciona o Navi. O Conselho Tutelar e o Ministério Público também fazem encaminhamentos ao Núcleo. A equipe é formada por psicólogo e terapeuta ocupacional, e um assistente social e um advogado concursados ainda serão convocados.

A média de atendimentos varia entre 30 e 50 pessoas por mês. A Atenção Básica ainda realiza um trabalho de conscientização, para que a população saiba que o Navi existe para tratar os casos de violência, enquanto a delegacia é apenas o espaço de denúncia.

» Reforma integral do Posto de Saúde do bairro São João: unidade de saúde passou por intervenções que melhoraram a estrutura e as condições de atendimento.

Pintura geral interna e externa, revitalização do muro de fachada, troca de pisos, portas, azulejos e telhas, serviços de manutenção e novas instalações elétricas fora algumas das intervenções executadas no local. O posto ganhou ainda novos portões de entrada, área de serviço, estacionamento e uma área externa coberta.

Para garantir a segurança dos profissionais de saúde e pacientes, os novos pisos instalados são de material antiderrapante. A sala de vacinação ganhou nova bancada de granito e a entrada novos bancos. Todas as portas do interior da unidade foram trocadas. Também foram feitos serviços de manutenção elétrica e troca de lâmpadas. O espaço externo, agora inteiramente nivelado e cimentado, recebeu luminárias novas e uma área coberta de 35 m² destinada aos trabalhos educativos e de prevenção à saúde. O terreno ao fundo foi aterrado, nivelado e recebeu escadas de acesso. Foi criada, ainda, uma área para o armazenamento do compressor odontológico da unidade.

» Vacinação para cerca de 14 mil cães e gatos em 2013 e para mais de 15 mil em 2014: cuidado especial também com os animais da cidade e por consequência com a população.

Promovida pela Prefeitura, a Campanha de Vacinação Antirrábica, de 2013 foi, realizada em todos os 24 postos de saúde do município, na Policlínica do Centro e em postos volantes para cerca de 14 mil cães e gatos. Mais de 150 profissionais, entre veterinários, enfermeiros, técnicos, agentes de endemias e agentes comunitários de saúde estiveram envolvidos. A meta de vacinação de 80% dos animas foi atingida.

Em 2014, foram 15.076 cães e gatos vacinados, mas, em 2015, o estado não disponibilizou os insumos para a realização da campanha e ainda não há data prevista para a vacinação.

» Abertura de Unidade Intermediária (UI) no Pronto-Socorro Municipal: construída com recursos próprios, a UI foi um investimento de alto custo para a Prefeitura.

A atual administração construiu e implantou uma Unidade Intermediária (UI) no Pronto-Socorro, onde o paciente que se encontra em estado grave aguarda a sua transferência em um dos dois leitos equipados. A estrutura de uma UI é igual a de uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), no entanto, a unidade não pode funcionar como UTI porque o Pronto-Socorro não é credenciado, pois esse tipo de estrutura de saúde é de responsabilidade dos estados, não dos municípios.

A UI possui técnico de enfermagem e enfermeiro que observam o paciente 24 horas. A permanência na Unidade Intermediária facilita a transferência porque o paciente é muito bem assistido antes de se deslocar para um outro hospital.

Na obra, foram utilizados pisos especiais de CTI, a janela ganhou vidro com película antivandalismo, resistente a impactos e toda a pintura da sala foi feita com tinta hospitalar de baixo odor e espectro ativo contra bactérias e fungos.

O dois leitos são semiautomáticos e contam com ajuste de posição, grades laterais e rodízios. Os móveis são equipados com monitor cardíaco multiparâmico, respirador mecânico, desfibrilador, equipamento para macronebulização, oxigenioterapia e aspiração a vácuo, bomba de infusão, entre outros materiais específicos destinados ao diagnóstico e terapia. O espaço, totalmente climatizado, conta ainda com ambiente exclusivo para o preparo de medicação e armazenamento de materiais, além de área para expurgo, totalizando cerca de 30 m².

» Coleta para exames de rotina nas Unidades de Saúde por meio do sistema Rota: logística descentralizada diminui tempo para entrega dos resultados dos exames e evita o deslocamento de pacientes.

Com o objetivo de facilitar o acesso e evitar o deslocamento de pacientes até o centro da cidade, a Prefeitura passou a oferecer o serviço de coleta laboratorial para exames de rotina e pré-operatórios em todas as unidades básicas de saúde (UBS) e nas unidades do Programa Saúde da Família (PSF). A coleta de materiais biológicos é feita mediante requisição médica, conforme programação de dias, horários e vagas divulgados pela Secretaria.

No esquema antigo, perdia-se muito tempo com a burocracia, e isso também gerava muito custo financeiro para o usuário, além da demora para a entrega dos resultados. Agora, no próprio posto de saúde do bairro, o paciente pode realizar a coleta, com a entrega dos resultados já na semana seguinte.

O novo serviço só foi possível após a implantação do Rota, o sistema de logística que integra as unidades de saúde do município com a Secretaria de Saúde e funciona de acordo com a demanda. Uma rota é estabelecida para que o carro recolha os exames realizados nas unidades e os entregue nos laboratórios. Os encaminhamentos que os médicos das unidades básicas fazem aos especialistas também seguem pela rota.

» Aquisição de dez novos aparelhos de eletrocardiograma: mais agilidade no processo de diagnóstico e no início do tratamento.

A Prefeitura substituiu os antigos equipamentos por dez novos aparelhos de eletrocardiograma para as unidades básicas de saúde da família do município. O eletrocardiograma (ECG) é um exame diagnóstico que detecta sinais da atividade do coração, utilizado para examinar algumas funções do órgão.

Os novos aparelhos, adquiridos com recursos provenientes de emenda parlamentar, representam um diferencial de qualidade na saúde do município. Com os exames realizados nas Unidades Básicas, Policlínica e Pronto-Socorro, os pacientes já vão para a consulta médica com o resultado em mãos.

» Aquisição de UTI móvel para transporte de pacientes graves: mais segurança para a saúde de pacientes em estado de urgência e emergência.

O novo veículo possui todos os equipamentos necessários para a preservação da vida e tem maior eficiência na remoção, além de proporcionar mais conforto e segurança no transporte de pacientes em estado de saúde de emergência e urgência, que exigem cuidados especiais.

São Pedro da Aldeia não conta com os serviços do SAMU, por isso, até a chegada da ambulância equipada tipo UTI, o resgate não existia na cidade. A equipe especializada é formada por motorista, enfermeiro e técnico de enfermagem. Eles fazem treinamento constante e são capazes de realizar salvamento em lagoa, mar e estrada, com resgate acompanhados pelos bombeiros. A ambulância tipo UTI também é usada na transferência de pacientes que se encontram em estado grave.

» Reforma da Unidade de Saúde da Praia Linda: obra de destaque na cidade melhorou a vida de quem precisa de atendimento médico.

A Unidade de Saúde da Família recebeu na parte externa nivelamento da rampa de acesso, reconstrução da calçada, pintura, troca das luminárias, reforma e rebaixamento do telhado, para evitar goteiras. No interior, a cozinha, a sala de vacinação, os consultórios clínicos e odontológicos receberam azulejos nas paredes, as portas foram reformadas, maçanetas trocadas e os espaços de atendimento pintados com tintas laváveis, para facilitar a limpeza e manutenção. No total, quatro salas foram revitalizadas para atender a população. Em todo o espaço, os acessórios foram trocados, a parte elétrica recebeu reparos e a sala de vacinação foi reativada.

A reforma foi realizada através da parceria firmada, em 2013, pela atual gestão com o Fundo Nacional de Saúde, e o investimento total foi de R$ 51 mil.

» Mais duas vans para o transporte de pacientes: conforto e economia para quem precisa de atendimento, mas não está em estado de urgência ou emergência.

Os novos veículos, obtidos por meio de emendas parlamentares de deputados estaduais, transportam para outras localidades os pacientes que necessitam de tratamentos não oferecidos pelo município, como cirurgias, exames, consultas, radioterapia, quimioterapia e outras necessidades. Com mais essa aquisição, São Pedro da Aldeia passa a contar com três veículos direcionados ao transporte de pacientes, o primeiro adquirido está em funcionamento para casos de hemodiálise.

» Tratamento e medicação gratuitos contra o fumo: parceria com o Governo Estadual ajuda o aldeense e ficar livre do cigarro.

A Prefeitura passou a oferecer tratamento, orientação e medicação gratuitos às pessoas que desejam parar de fumar. O tratamento, do Programa Antitabagismo, é realizado no Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher, Criança e Adolescente (PAISMCA).

O programa é realizado em duas etapas. Na primeira, são marcados quatro encontros semanais com uma temática específica para cada sessão. Ao final do quarto encontro, é feita a distribuição da medicação gratuita, fornecida pelo Ministério da Saúde. Já a segunda etapa consiste em encontros quinzenais para acompanhamento.

O programa Antitabagismo é do Governo Estadual e administrado pelo município. Desde o seu início, 250 pessoas já foram atendidas. Atualmente, 79 pessoas estão em acompanhamento. (Informação fornecida em 07/2016).

» Projeto Saúde do Pescador no bairro Ponta do Ambrósio: cuidado especial nas áreas de dermatologia, oftalmologia e oncologia.

O projeto de iniciativa da equipe da USF do bairro e do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) é realizado na última quarta-feira de cada mês, com diversas atividades. A proposta é oferecer atenção especial ao grande número de pescadores do bairro e facilitar o acesso desse público aos cuidados nas áreas de dermatologia, oftalmologia e oncologia.

» Início de atendimento na Unidade Móvel do Hospital Oftalmológico Sta. Beatriz de Niterói: atendimento custeado pela Prefeitura evita o deslocamento dos pacientes de São Pedro da Aldeia.

A Secretaria Municipal de Saúde possui tratamento oftalmológico, mas não oferece todas as especialidades por falta de aparelhos e profissionais. Por isso, a Prefeitura contratou por duas vezes a Unidade Móvel do Hospital Oftalmológico Santa Beatriz. A vantagem é que, em vez de deslocar 40 ou 50 pacientes para Niterói, o ônibus vai a São Pedro da Aldeia munido de equipamentos e profissionais que realizam a triagem e fazem os agendamentos. Nos casos de cirurgia, o paciente tem que se deslocar de qualquer forma, mas o pré-operatório da catarata, por exemplo, pode ser feito pela Unidade Móvel. Cerca de 50% da demanda é sanada durante a visita do ônibus. O atendimento é todo custeado pela Prefeitura.

» Mais de R$ 300 mil em equipamentos instalados no Pronto-Socorro: melhor infraestrutura para o atendimento dos pacientes de São Pedro da Aldeia.

O Pronto-Socorro Municipal recebeu cerca de 25 novos aparelhos para atendimentos na unidade, num investimento de mais de R$ 300 mil, em recursos próprios. Foram adquiridos dois desfibriladores, seis respiradores, sendo dois portáteis de ambulância e quatro de Unidade Intermediária (UI), dois monitores cardíacos, três aspiradores de Centro Cirúrgico, dez bombas infusoras e duas tábuas de compressão cardíaca para UI e para ambulância.

» Meta de vacinação contra a poliomielite é ultrapassada em crianças menores de 1 ano: atenção especial com a saúde evita a proliferação de doenças.

A campanha imunizou crianças contra poliomielite e sarampo, sendo que de vacinação contra poliomielite ultrapassou em 6% a meta estabelecida no município para crianças menores de 1 ano e atingiu a meta de 72% de cobertura na faixa de até 4 anos.

O público-alvo da imunização contra a poliomielite é composto por crianças de 6 meses até menores de 5 anos, já a vacinação contra sarampo é aplicada em crianças de 1 ano a menores de 5 anos.

Números de vacinação infantil contra a Poliomielite:

2013: 6.395 crianças, ou 100% das crianças menores de 1 ano.

2014: 5.035 crianças, ou 90,07% das crianças menores de 1 ano.

2015: 5.417 crianças, ou 96,73% das crianças menores de 1 ano.

2016: A campanha deste ano está prevista de 22/08 a 02/09, sendo que o dia nacional da mobilização será 27/08.

» Inauguração da Unidade de Saúde do bairro Flexeira: investimento de R$ 367 mil reais aplicado por meio de parceria entre Prefeitura e Governo Federal.

A Unidade de Saúde do bairro Flexeira atende através da Estratégia de Saúde da Família e foi construída de acordo com o modelo sugerido pelo Ministério da Saúde, sendo, portanto, uma unidade padrão. A estrutura oferece consultório odontológico, sala de expurgo, sala de vacinação e sala dos médicos, tudo dentro das normas legais. O posto possui profissionais do programa Mais Médicos.

Dos 24 postos de saúde do município, 15 operam pela Estratégia da Saúde da Família. Desses 15 postos, nove foram contemplados pelo programa Mais Médicos. As equipes de Estratégia da Saúde da Família são compostas por um médico clínico geral com carga horária de 40 horas, um enfermeiro, um técnico de enfermagem, uma atendente, um auxiliar de serviços gerais, um dentista, um auxiliar de saúde bucal e uma equipe de agentes comunitários que é formada de acordo com o território e o tamanho da sua população.

Todas as equipes das outras nove unidades de saúde possuem um clínico geral. Algumas unidades oferecem outras especialidades como obstetrícia, ginecologia, pediatria e tratamento odontológico. As equipes contam ainda com técnico de enfermagem, enfermeiro, auxiliar de serviços gerais e atendente.

A obra teve um investimento de R$ 367 mil, sendo R$ 200 mil do Fundo Nacional de Saúde (FNS) e R$ 167 mil da Prefeitura. O convênio que tinha sido firmado em 2012 foi resgatado pela atual administração.

» Construção da Unidade de Saúde do Porto do Carro: obra foi iniciada, mas atualmente está parada por falta de repasse de verbas (informação de 07/2016).

A obra tem um investimento de R$ 447,5 mil, sendo R$ 408 mil do Fundo Nacional de Saúde (FNS) e R$ 39,5 mil da Prefeitura. O convênio foi firmado, em 2013, pela atual administração.

O prédio possui quatro consultórios, sendo um odontológico, um ginecológico e dois básicos, além de sala de palestras, sala de reunião, recepção, farmácia, administração, vacina, curativo, vestiário e refeitório. A Unidade de Saúde da Família, vinculada à rede municipal de saúde, atende aos moradores do bairro Porto do Carro e funciona nos moldes do Programa de Saúde da Família (PSF).

» Construção da Unidade de Saúde do Parque Arruda: obra está paralisa por problemas com a construtora contratada, nova licitação será realizada (informação de 07/2016).

Obra é realizada com recursos da 2ª etapa do Programa de Aceleração do Crescimento, como resultado de um pacote de convênios conquistados pela Secretaria de Projetos junto ao Governo Federal. O investimento é da ordem de R$ 447,8 mil com R$ 408 mil do PAC e R$ 39,8 mil da Prefeitura.

Composto por um pavimento, o prédio conta com quatro consultórios, sendo um odontológico, um ginecológico e dois básicos, além de sala de palestras, sala de reunião, recepção, farmácia, administração, vacina, curativo, vestiário e refeitório. A arquitetura moderna atende às normas de acessibilidade, com revestimentos em paredes e pisos e a colocação de portas e pintura geral do prédio.

A obra está paralisada porque o primeiro colocado na licitação declarou falência e o segundo colocado não demonstrou interesse em dar continuidade à obra. Uma nova licitação será feita.

» Mais de 50 mil pessoas imunizadas contra a gripe: vacinação realizada em todos os quatro anos do atual governo leva mais saúde à população aldeense.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza atingiu a marca de 53.382 pessoas imunizadas em São Pedro da Aldeia. A ação tem como público-alvo as crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade, grávidas em qualquer fase da gestação, idosos a partir de 60 anos, profissionais da saúde, puérperas até 45 dias após o parto e portadores de doenças crônicas.

Números de vacinação contra a gripe Influenza:

2013: 16.236 pessoas foram imunizadas, ou 100% das pessoas que pertencem ao grupo prioritário.

2014: 10.723 pessoas foram imunizadas, ou 60% das pessoas que pertencem ao grupo prioritário.

2015: 10.603 pessoas foram imunizadas, ou 59,63% das pessoas que pertencem ao grupo prioritário.

2016: 15.820 pessoas foram imunizadas, 88,37% das pessoas que pertencem ao grupo prioritário.

Os postos de São Pedro da Aldeia que fazem fronteira com outros municípios tiveram uma procura maior pela vacinação. Fica claro que o município está atendendo também à população das cidades vizinhas.

» Construção da Unidade Básica de Saúde (UBS) do Porto da Aldeia: obra já está quase concluída e tem previsão de inauguração para agosto de 2016.

A obra é feita com recursos conquistados pela Secretaria de Projetos, junto ao Governo Federal (Ministério da Saúde), e com a contrapartida municipal. A UBS no Porto da Aldeia oferece atendimentos num prédio com 170 m² de área construída, com recepção, salas de atendimento, farmácia, depósito, banho, expurgo, inalação, procedimentos, consultórios gerais e consultório odontológico.

A UBS de Porto da Aldeia também será padrão, construída de acordo com o modelo preconizado pelo SUS, assim como o da Flexeira, e vai atender pela Estratégia Saúde da Família.

» Reforma da Residência Terapêutica: melhores condições para atendimento de pacientes e maior capacidade administrativa da instituição.

A casa acolhe pacientes psiquiátricos que perderam a estrutura social e familiar e necessitam de acompanhamento e internação por longo período. Para maior conforto dos usuários e da equipe técnica, as obras envolveram a troca de telhado, pintura, revisão elétrica e a ampliação de portas para a melhor habitabilidade dos pacientes.

Hoje os pacientes vivem com muito mais dignidade, com seus direitos garantidos e em ótimas condições de moradia. A Residência Terapêutica tem capacidade para receber dez moradores e atualmente está ocupada por seis.

O abandono da casa ocorreu em decorrência da desorganização da última gestão da Prefeitura que não fez o cadastro da Residência Terapêutica para proceder pedido de incentivo frente ao Governo Federal. Mas, atualmente, existe uma direção técnica eficiente que fez todo o processo legal, e hoje o município recebe o incentivo no valor R$ 12 mil mensais, que são gastos na manutenção da casa.

Os moradores ainda recebem o Programa de Volta para Casa (PVC), um benefício do Ministério da Saúde no valor de R$ 412,00 mensais. O dinheiro é depositado na conta de cada um e eles gastam como querem.

» Construção da Unidade de Saúde do bairro Baleia: obra interrompida em função da troca de empreiteiras e sem data para inauguração (informação de 07/2016).

Realizada com recursos de emenda parlamentar e contrapartida municipal, a obra conta com um investimento total de R$ 549 mil, sendo R$ 408 mil do Fundo Nacional de Saúde e R$ 141 mil da Prefeitura.

A nova USF no bairro Baleia vai oferecer atendimento em prédio próprio, com área de 410 m².

O espaço será contemplado por quatro consultórios, sendo um ginecológico, um odontológico e dois indiferenciados; sala de procedimentos, expurgo, vacinas, inalação; cinco banheiros adaptados, sala de palestras, copa, cozinha, área de serviço e departamento de material de limpeza, sala de observação, refeitório, vestiários, almoxarifado, rouparia, sala de reuniões, farmácia, estocagem de medicamentos e atendimento.

» Reforma e ampliação do Pronto-Socorro Municipal: investimento em infraestrutura para melhorar o atendimento aos pacientes.

O projeto visa adequar o Pronto-Socorro às regras básicas da Vigilância Sanitária, principalmente da RDC n°50, que dispõe sobre o projeto físico de unidades de saúde. Com as intervenções, a unidade passa a contar com uma área de internação mais ampla, sala amarela com quatorze leitos, recepção de emergência com acesso rápido ao Serviço Social e chamada eletrônica.

Existe ainda um projeto para uma reforma maior, com o objetivo de transformar o Pronto-Socorro em hospital de clínica médica com 20 leitos de maternidade, 30 para clínica médica, além de centro cirúrgico, transferindo os atendimentos do Hospital da Missão, contratualizado, para essa nova unidade municipal, que seria o primeiro Hospital Municipal de São Pedro da Aldeia.

» Campanha #zikazero atinge 100% de aproveitamento: Prefeitura trabalha no combate ao Aedes Aegypti, 16 bairros foram beneficiados.

Os trabalhos acontecem em todos os bairros do município. A Secretaria de Saúde vem promovendo o Gabinete de Crise, no qual convoca outras secretarias municipais para ampliar e agilizar o combate ao Aedes Aegypti.

O resultado positivo compensou os esforços realizados pelas equipes municipais de saúde, que empenharam seus contingentes materiais e de pessoal durante a ação. Guardas de Endemias, Agentes Comunitários de Saúde e os militares conversaram com a população e distribuíram material gráfico com instruções de combate à Zika.

Os bairros beneficiados foram: Praia Linda, Balneário, Recanto do Sol, Estação, Fluminense, Bela Vista, Centro, Nova São Pedro, Porto da Aldeia, Mossoró, Poço Fundo, Praia do Sudoeste, Baleia, São João (praça), Campo Redondo, Baixo Grande e Parque Estoril.

» Inauguração da nova Unidade de Saúde do Campo Redondo: R$ 562 mil investidos em um novo espaço destinado à promoção e atendimentos em saúde.

A USF é composta por dois andares e conta com médicos generalistas, incluindo um médico do Programa Mais Médicos, dentista, enfermeiros, técnicos de enfermagem, agentes comunitários de saúde, recepcionistas e serviços gerais.

No pavimento térreo, de 296 m², o espaço possui sete consultórios, sendo dois ginecológicos, dois odontológicos e três básicos, sala de palestras, curativo, vacina e farmácia. Já o pavimento superior, de 80 m², é formado por sala de reuniões, administração, almoxarifado, depósito de medicamentos e vestiários.

Fruto de parceria estabelecida, em 2013, entre a Prefeitura e o Governo Federal, a nova unidade de saúde aldeense foi construída por meio de recursos da 2ª etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2). O investimento foi de R$ 562 mil, sendo R$ 512 mil do Governo Federal e R$ 50 mil da Prefeitura.

A nova unidade de Campo Redondo foi inaugurada no início deste ano (2016). No bairro possuía duas unidades, Campo Redondo I e II. Hoje elas funcionam no mesmo espaço, mas com duas equipes diferentes. Uma divisão interna ainda existe por uma questão de logística, para que os agentes comunitários possam continuar atendendo as mesmas famílias. A unidade conta com dois médicos generalistas, sendo que um faz parte do Mais Médicos, dois dentistas, dois auxiliares de dentista, dois técnicos e dois enfermeiros. Campo Redondo é a maior, mais bonita e mais bem estruturada unidade do município.

» Reforma da Unidade de Saúde do bairro Baixo Grande: contrato com o Governo Federal, paralisado durante a gestão 2009 – 2012, foi recuperado pela atual administração da Prefeitura.

A reforma foi realizada com um investimento de R$ 44 mil proveniente de convênio com o Fundo Nacional de Saúde (FNS). O contrato foi firmado e depois paralisado durante a última administração da Prefeitura e foi recuperado pela gestão atual, por meio da Secretaria de Projetos.

» Construção da Unidade de Saúde do bairro Centro: contrato com o Governo Federal, paralisado durante a gestão 2009 – 2012, foi recuperado pela atual administração da Prefeitura.

A obra tem um investimento de R$ 369 mil, sendo R$ 200 mil do Fundo Nacional de Saúde (FNS) e R$ 169 mil da Prefeitura. O convênio foi firmado em 2011 e resgatado pela atual administração, por meio da Secretaria de Projetos.

Trata-se da unidade de Mossoró, que inicialmente atenderia também a demanda do Centro. No entanto, a avaliação feita hoje é a de que o deslocamento é muito grande. Atualmente, a unidade do Centro funciona na casa do PAIMSCA. As obras da unidade de Mossoró estão em fase final (informação de 07/2016).

» Construção da Unidade de Saúde do bairro Rua do Fogo: a empreiteira responsável abandonou a obra, o empreendimento está parado (informação de 07/2016).

A obra tem um investimento de R$ 538 mil, sendo R$ 408 mil do Fundo Nacional de Saúde (FNS) e R$ 130 mil da Prefeitura. O convênio foi firmado, em 2014, pela atual administração.

» Problemas de infraestrutura em unidades de saúde: postos de saúde instalados em dois bairros precisam de melhor estrutura.

Os postos dos bairros Orquídea e Parque Arruda funcionam em casas mal estruturadas. As unidades vão se mudar para um prédio novo, mas as obras foram interrompidas.

» Resistência por parte da população com relação ao primeiro atendimento médico preventivo: pacientes querem ser atendidos diretamente por um especialista.

Os pacientes resistem em receber o primeiro atendimento nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) ou postos de Estratégia de Saúde da Família (ESF), onde o primeiro atendimento é obrigatoriamente feito por um clínico geral, que faz o encaminhamento para outras especialidades, se necessário. As pessoas querem ser atendidas imediatamente pelo especialista.

Os Agentes Comunitários de Saúde (ACS) precisam ser capacitados para criarem um vínculo mais forte com a população. O plano da Secretaria de Saúde é, nos próximos seis meses, trabalhar a recuperação da Atenção Básica no município, nos postos de Estratégia Saúde da Família e nos postos tradicionais. Se houver continuidade do trabalho na próxima administração, no final de 2017, São Pedro da Aldeia poderá oferecer Atenção Primária de excelência.

» CAPS 1 – Centro de Atenção Psicossocial está sendo requalificado para se tornar CAPS 2: maior capacidade para atendimento a pacientes com problemas mentais.

A mudança de CAPS 1 para 2 consiste em aumentar a capacidade de atendimento de 300 para 400 pacientes, com oferta de cuidado especial em relação ao álcool e às drogas. O CAPS é um dispositivo municipal que funciona de acordo com o modelo criado pelo Governo Federal, após a Lei da Reforma Psiquiátrica de 2001, onde está previsto o fechamento gradativo dos hospitais psiquiátricos em todo país.

São oferecidos tratamentos intensivos para pacientes com transtornos mentais graves persistentes e para dependentes químicos. Os pacientes podem passar o dia todo ou apenas algumas horas por semana, dependendo da gravidade da doença mental. Estão disponíveis atendimentos individuais, de grupo, consultas, oficina terapêutica e ainda três refeições diárias.

O tipo de CAPS (CAPS 1, CAPS 2, CAPS 3, CAPS AD e CAPSI) varia de acordo com o nível populacional. A equipe é composta por médico psiquiatra, terapeuta ocupacional, assistente social, psicólogo, enfermeiro e técnico de enfermagem.

» Prefeitura vai inaugurar o primeiro Centro de Atenção Psicossocial Infantil (CAPSI): será a primeira instalada na Baixada Litorânea, única região do estado que ainda não possui a unidade.

O Centro vai oferecer o cuidado com crianças e adolescentes que sofrem de transtornos mentais graves e persistentes, inclusive relacionados ao uso abusivo de álcool e drogas. A equipe será montada de acordo com o panorama do município, mas composta por, no mínimo, um médico, um enfermeiro e quatro profissionais de nível superior.

O recurso inicial do Ministério da Saúde para instalação do CAPSI será de R$ 30 mil. A casa onde o centro vai funcionar já foi alugada e a equipe técnica será convocada do concurso já realizado. O CAPSI será credenciado junto ao Governo Federal e poderá receber repasses da ordem de R$32.5 mil mensais para poder sustentar o dispositivo.

O Centro vai ter capacidade para receber até 300 crianças e adolescentes que sofrem de doenças como autismo, paralisia cerebral e transtorno de comportamento.

» Ambulatório Ampliado de Saúde Mental realiza cerca de 3 mil atendimentos ao mês: unidade recebe tanto os pacientes com transtornos comuns quanto os mais graves.

A equipe é multiprofissional, composta por quatro médicos psiquiatras, sendo um infantojuvenil, psicólogo, terapeuta ocupacional, assistente social, fonoaudiólogo e fisioterapeuta. Os pacientes em estado comum ficam no ambulatório, já os pacientes em estado grave são recebidos e depois encaminhados para o CAPS.

A Saúde Mental busca a auto-gestão captando recursos para se manter. Atualmente o município recebe R$ 18 mil por mês por ter tirado os pacientes do Hospital Psiquiátrico. Com parte da verba, a Saúde Mental alugou uma doblô que atende a rede. No total, os repasses somam R$30 mil.

Materiais e equipamentos adquiridos para as 12 unidades de saúde:

  • Móveis e eletrodomésticos para atender as necessidades do CAPS.
  • Purificadores de água para as Unidades de Saúde.
  • Compressores odontológicos para as Unidades de Saúde.
  • Móveis e eletrodomésticos para a Residência Terapêutica.
  • Materiais fisioterapêuticos para o Centro Municipal de Reabilitação.
  • Materiais a serem utilizados no Programa de Saúde Bucal.
  • Materiais permanentes para o Centro Integrado de Saúde (CIS).
  • Equipamentos e materiais para as Unidades Básicas de Saúde.
  • Equipamento para atendimento hospitalar.
  • Equipamento para a Policlínica e Pronto Socorro Municipal.
  • 3 veículos (fiat palio) para a Vigilância em Saúde.
  • 1 veículo (fiat doblô) para a Atenção Básica.

124    125

Produção anual das Unidades de Saúde (USFs, UBSs, PSM e Policlínica).

Total geral de procedimentos como consulta médica, curativos, imunizações, visitas domiciliares etc. Em 2013: 504.064

Em 2014: 564.012

Em 2015: 437.873

Produção anual do Centro de Especialidades Odontológicas

Total geral de procedimentos:

Em 2013: 15.223

Em 2014: 17.182

Em 2015: 13.496

Produção anual do Centro Municipal de Atendimento em Saúde Mental

Total geral de consultas:

Em 2014: 6.485

Em 2015: 3.237

Produção anual do Centro de Atendimento à Mulher

Total geral de consultas:

Em 2014: 1.911

Em 2015: 3.192

Programa de Combate à Dengue:

Imóveis existentes no município: 71.090

Pactuado: 80% nos quatro ciclos

Total de visitas domiciliares: 21.063

Veja também!